INFINITISMO

Semelhante ao argumento do regresso, o infinitismo propõe que a regressão de justificativas deve ser infinita. Difere do pirronismo, porque não chega a uma conclusão pela impossibilidade do conhecimento.

Deste ponto de vista, para que uma crença seja justificada precisamos ter infinitas crenças justificadoras. Assim, para que a crença A seja justificada; as crenças B e C devem estar justificadas, porém estas por sua vez, também dependem da justificação de outras crenças. O infinitismo argumenta que você não precisa chegar ao fim da cadeia de justificações para que sua crença seja justificada. Afinal a cadeia é infinita.

Peter Klein apontou para a questão que o infinitismo parece requerer que o indivíduo tenha um número infinito de crenças, o que é impossível. Moser faz uma crítica semelhante a essa, afirmando que conforme a argumentação do infinitismo o sujeito teria que ser eterno para formar crenças em um número infinito, o que também não é nada plausível.

Outra objeção que pode-se colocar contra esta teoria, é que se a justificação das crenças é condicional,ou seja,para que a crença A seja justificada é necessário que as crenças B e C também o sejam e assim por diante;como pode ser legítima a nossa justificação se não encontramos a crença justificadora?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: